Segunda-feira, 18 de Abril de 2005

Incerto Parte II

Transpus a porta de casa, liguei as luzes do meu pequeno apartamento de Lisboa e atirei com a mala para cima do sofá vermelho, pousei o portátil sobre a pequena secretária e segui o mesmo caminho da mala, caindo desamparado sobre o mesmo e ainda bati com a nuca na parede, quando deitei as mão há mala para poder tentar descobrir uma morada, numero de telefone, cartão da empresa ou qualquer outra coisa que me indica-se onde encontrá-la, senti a mala a vibrar, “Boa! Um telemóvel!”, coloquei a mão no interior da mesma e lá o encontrei, reparei que no visor dava a indicação de Carlos, decidi atende-lo podia ser ela a telefonar do telemóvel do marido, ou de um amigo.

- “Tou, porra, onde andas?”

- Tou sim quem fala?

- “Mas quem porra é você? E o que faz no telefone da minha mulher?”

- Daqui fala o Bino, Albertino Cardoso! E.......

- “Mas e o que faz o senhor com o telefone da minha mulher? Passe lá o telefone a ela que já me vai ouvir!”

- Ela aqui não se encontra! Eu.....

- “Como não se encontra? Passe já o telefone a essa puta que já me vai ouvir!”

- Mas já lhe disse que ela aqui não está! Eu ......

- “ Ai o caralho! mas estás a gozar comigo é? Mas pensas que eu nasci ontem? Passa lá o telefone há puta, antes que eu me zangue, ou pensas que eu não sei onde te encontrar? Eu conheço-te pá, tu não me lixas mais, passa isso há puta e é já!”

Comecei a ficar um bocado em pânico, mas o gajo nem me deixava falar e já me queira dar porrada, tenho de arranjar maneira de sair desta, imaculado.

- Peço desculpa, mas acho que não me fiz entender, chamo-me Doutor Albertino Cardoso e estou a atender o telemóvel da sua senhora, porque achei esta mala num café e estava a tentar saber de quem era para a tentar devolver mas o sen......
Fui interrompido por uma extensa gargalhada que quase me gelou os ossos, “Pronto estou tramado!”, pensei!

- “Hahahahah! Mas você quer que eu acredite nessa chachada? Já lhe disse que não sou parvo, ou você passa o telefone há puta ou então eu desfaço-lhe a cara!”
Tenho de manter a frieza, se arranjo nova desculpa então é que estou tramado.

- A sério senhor, tenha calma, não quero chatices, apenas desejo devolver as coisas há sua senhora, se soubesse que ia dar tanta chatice teria entregue isto aos perdidos e achados da esquadra de Policia mais próxima, mas sei que se fosse comigo preferia que me a viessem entregar as coisas e não tivesse de andar por ai de esquadra em esquadra há procura.

- “Acho isso muito estranho, não me convence homem, doutor né? Pois sim, deve mesmo ser, aposto que ela está ai bem caladinha há espera de que eu desligue para se rirem nas minhas costas, diga-me onde está que eu vou ai buscar isso!”

- Por mim pode ser, assim resolvo já esse assunto, pegue num papel para anotar a morada!

- “Já o tenho, vá dispare lá isso!”

- Rua Nobre José Canhas numero trinta e seis, segundo direito.

- “E isso fica ao pé do quê?”

- Fica mesmo perto de alvalade e não é do estádio é alvalade mesmo, perto da igreja.

- “Vou já para ai e se me estiver a enganar tenho amigos que descobrem onde você mora e depois faço-lhe a folha! Tá a ouvir?”

- Sim claro que ouvi e não se preocupe eu daqui não saio!

A ligação foi desligado do outro telefone, fiz o mesmo no meu e desatei a procurar na mala com mais afinco, encontrei alguns cartões de restaurantes, outro de um mecânico um de uma empresa de advogados, comecei a fotocopialos o mais depressa que pude nunca se sabe quanto tempo ele vai demorar, fiz o mesmo com os cartões de identidade dela, e de contribuinte até o do banco fotocopiei, achei ainda um livro com vários números de telefone e não perdi tempo e fotocopiei-os também, sei que posso estar a entrar na vida privada dela, mas eu amei-a em tempos e não vou ficar de braços cruzados enquanto aquele porco andar por ai a chamar-lhe puta e outras coisas e se calhar até a bater-lhe, pelo menos parecia agressivo.

Quase uma hora e meia depois da chamada telefónica acabar, fui despertado dos meus pensamentos quando a campainha tocou.

publicado por Pinheirinho às 19:44
link do post | comentar | favorito
|

.Facebook

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 14 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.links

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.pesquisar

 

.posts recentes

. O mundo não é só Chris Co...

.arquivos

. Maio 2017

. Fevereiro 2017

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Junho 2015

. Novembro 2014

. Junho 2008

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Outubro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Como é que era nos anos D...

. John Lennon

. Warrel Dane, Nevermore!

. 7 GB de coisa nenhuma

. Covers que valem a pena

. O Prog Rock Nacional

. Uma Europa que deu "bola"

. All of the Above

. A mesma noite, uma verdad...

. Inicio

.Blogs Portugal

.blogsportugal

SAPO Blogs

.subscrever feeds